Deserto do Atacama

16.5.15


Você quer sair de férias, descansar e escolhe um deserto? Um lugar abarrotado de pó, onde o calor e o frio são intensos, a pele racha antes mesmo de chegar lá e a infraestrutura disponível é mínima?

É. É isso mesmo.

E não pense que sou louca ou gosto de passar aperto. É que as belezas naturais prometidas falaram mais alto. E, bem, eu tinha certeza de que daria conta do tranco.

Foi então que marquei minhas tão sonhadas férias para o Chile. Melhor dizendo: San Pedro de Atacama.



Eu queria fazer uma viagem diferente. Não estava a fim de passar o dia comprando ou visitando igrejas, museus. Nada contra. Amo muito! Mas queria novidade. Ando assim. Cansada do velho, da mesmice.

E, nossa, como AMEI a minha escolha! Pense em uma viagem absolutamente sensacional! Tão boa que entrou para o meu top 3 da life!

Se você anda procurando algo diferente, considere seriamente ir para lá!


O Chile é o Chile. Mesmo no deserto, oferece infraestrutura decente. Então, não tem nenhum momento de perrengue absoluto.

Tudo bem. O hotel não é impecável. Nem sempre vai ter água quente ou wifi. As ruas são de terra batida. E nos passeios não é sempre que há um banheiro equipado à disposição. Mas, mesmo assim (e talvez até por isso), vá para o Atacama! Desapega!


Os passeios são muitos. Eu fiz os mais recomendados pelos blogs (foram mais de 50) que li. E adorei todos! A agência escolhida foi a Grado 10, muito boa, profissa!

Laguna Cejar


O primeiro dia foi dedicado à Laguna Cejar, o Mar Morto sul-americano. Saímos de San Pedro às 16h e voltamos às 20h. Você leva biquíni para se esbaldar na piscininha exótica (com 35% de salinidade) que não deixa que turista algum se afunde (nem se esforçando muito)! E você ainda sai com o corpo coberto de sal (não se preocupe. Há duchas, ainda que com um fio ínfimo e gélido de água, para tirar o sal da pele. Aproveite e leve uma toalha para se secar)!

No fim do passeio, teve ainda pôr-do-sol e um lanchinho improvisado!


Valle de la Luna y de la Muerte


Outro passeio curtinho, com saída às 16h e retorno às 20h30. Bom que você vai se acostumando à altitude antes de se meter naqueles tours mais puxados (aclimatación es vida)!

Sendo bem vaga (e fresca), trata-se de um monte de pedras e areia. Mas é o apanhado de pó mais charmoso que eu já conheci! A natureza é mesmo perfeita. Rochas desenhadas pela persistência do vento. Lindas de doer.

Para esse passeio, leve uma lanterna (e esteja preparado fisicamente). Você passa por uns lugares apertados, baixos e escuros (e um pouco de luz ajuda a evitar acidentes).

Lagunas Altiplánicas


Esse passeio é de derreter o coração. Você sai cedinho do hotel, umas seis da madrugada. Sem café da manhã, acorda mal-humorada. E lá fora ainda está aquele frio de rachar o coco (zero grau pra baixo). Sacoleja por mais de cem quilômetros no breu, rumo a sabe-se-lá-o-quê. E aí... TOMA! A Laguna Miñique está ali, te olhando, paciente. Como se estivesse passado a vida toda ali, esperando por sua visita (só para deixá-lo embasbacado).

Uma beleza de rachar lábio, acalmar o peito, desanuviar a mente, distensionar a coluna. Acho que cura até doença braba.

E ainda tomamos café por ali, com aquela vista chata.

Depois, ao lado, tem a Laguna Miskanti. Ah, fala sério! Duas preciosidades assim, coladinhas? Ofensa das grandes.


Geysers del Tatio


Um dos passeios mais puxados. Primeiro, porque carrega a mão na altitude (4200 metros), então a dor de cabeça pode ser sua companheira do dia. Depois, porque é o dia em que você sai mais cedo do hotel, então haja disposição! Terceiro, porque é frio de rachar (mais frio do que nas Altiplânicas). Quarto, porque... bom, já conto!

Imagina um monte de colunas de vapor e água pelando, saindo de fissuras do solo, voando altíssimo!!! É o resultado de rios subterrâneos gelados entrando em contato com rochas quentes! Bem legal de ver! Mas perigoso também! Nada de andar por lá pensando na vida. Tem é que olhar o chão para não pisar nos buracos.

A parte chata é que essa visita é bem rapidinha. Logo você vai para outra área para tomar café da manhã (o que é ótimo, claro, ainda mais porque sempre tem doce de leite! Mas você gastou duas horas para chegar lá, né? Esperava mais tempo para apreciar o visû). Quer dizer, antes do café, você pode colocar o biquíni e entrar na água. Isso mesmo. Na água. Mesmo estando menos quatro graus do lado de fora.

Pois é. Coisa de louco. Tanto que não tinha ninguém na piscina naturalmente aquecida quando decidi entrar. Sim. Entrei. Pra valer. E foi muito legal (deve ter um vídeo no Youtube comprovando isso. Rolaram até aplausos). Se for até lá, entre você também na piscina! Uma experiência única!


Salar de Tara


O melhor passeio ever. Ever!

Sério. Tem gente que não faz. Tem gente que nunca nem ouviu falar dele. Tem gente que acha caro e dispensa.

Gente, não há foto que explique o que são as paisagens no caminho para o Salar.

Eu me emocionei. Muito. Várias vezes. Chorei que nem criança, feliz por estar ali. Arrebatada pela grandiosidade da natureza. Foi demais. Inexplicável.

Ele dura quase um dia todo, mas é de tirar o fôlego. Tem quem sofra com a altitude, mas eu insisto que ainda assim vale a visita.

A visita foi ainda mais legal porque o tour é em um carro pequeno, com só seis pessoas, o que nos dá mais tempo de sentar e apreciar certas coisas que em um passeio grande, com muita gente, não rola. Outro diferencial foi nosso guia. O Marcos é apaixonado pelo que faz. Ama, ama, ama. Largou há alguns anos uma vida "certinha" para viver disso. E você sente o prazer do cara em cada curva, cada estrada escolhida, cada parada. Foi um deleite (a agência dele é a Enigma, e-mail: marcosen@gmail.com)!


Tour Astronômico

São dez telescópios à sua disposição. Só para observar o céu, as estrelas, a Lua e os planetas. O passeio é isso. Tempo para olhar para cima. Coisa que a gente nem sempre faz, por pressa, preguiça. São pouco mais de duas horas de explicações e observação a olho nu (depois, rolam os telescópios).

Confesso que não entendo nada de estrelas. Se entendesse, talvez tivesse aproveitado o tour melhor. Mas mesmo assim foi legal, principalmente porque consegui tirar uma foto da Lua!

Mas quem entende e gosta do assunto, vai amar! O Atacama é considerado o melhor céu do mundo para observar as estrelas! Tanto que tem um Observatório Europeu pra isso lá.


Onde comer

Como não poderia deixar de ser (se não, não seria euzinha), preciso falar de comida! Gente, Atacama é vida! Vi-da! Tem tanto restaurante legal que nem parece povoado de terra batida. E uma das estrelas da culinária local é a quinoa, muito comum por lá! A paixão pelo grão vem de longe! Coisa dos antepassados. Talvez seja por isso que eles saibam tão bem o que fazer com ela.


Mas também tem mil outras opções para além da quinoa. E boas! Sabe? Se joga!

Meus favoritos foram o La Estaka, Blanco e Baltinache (pequeno e charmoso. Precisa de reserva: 765 826 77 ou 987 101 03. Fica na Domingo Atienza, Sitio 2).
 

Seja como for, não percam o Atacama!

Nenhum comentário:

Postar um comentário