Lisboa: legal, com asterisco


Eu sei de muita gente que vai fazer cara feia para este post. Mas fazer o quê? Paixão não se explica. E eu simplesmente não consigo amar Lisboa. Estive lá poucas vezes, é verdade. Nada que desse pra formar uma opinião definitiva sobre o local (será que isso é possível?). Ainda assim.

Hoje, gosto mais do que gostava antes, verdade. Mas gosto normal. Não amo.


Não consigo ver o encanto de lá. Não sinto borboletas na barriga. Com algumas exceções.


Há duas ou três coisas que me tiraram do sério (positivamente) em Lisboa. E recomendo aqui. Pode ajudar sua viagem pra lá a ser ainda mais legal, principalmente se você já adora a cidade.


***

Se tem uma coisa boa em Lisboa e que é unanimidade é a comida.


Verdade. Come-se muito, muito bem. E, entre tanta comida boa, há os imperdíveis.

Eu quase tive um treco ao provar o Bacalhau com Broa do Velho Macedo. Absolutamente inesperado. Tanto sabor, tanto frescor, em um prato tão simples - e usual.


Também quase enfartei de pura felicidade numa ruela de Lisboa, em um restaurante familiar, sem placa, ao provar as ameijoas do Cantinho do Bem Estar.

Eu honestamente não vejo graça nos pastéis de Belém, mas, se tiver que comer, prove o original (do lado do Mosteiro dos Jerônimos).

Mudando de foco, adorei uma baladinha não programada: a Pensão Amor (no Cais do Sodré).


Quanto ao que provei, mas não adorei: O Pavilhão Chinês.

O bar tem uma decoração legal, mas os drinques são horrendos.


Também não me marcou positivamente o restaurante Casa da Índia, apesar das longas filas (que costumam indicar a boa fama do local)!


Tem ainda uma coisa tosca, mas cultural - que vale a pena provar em nome da experiência antropológica.

A famosa ginjinha, claro (um licor da ginja, similar à cereja).


Ah, tem uma coisa ótima sobre Lisboa! Fica pertinho de Sintra (ai, que má)! :) Por favor, vá até lá!

Merecem a visita o Palácio da Pena e a Quinta das Regaleiras!





Comentários

Postagens mais visitadas