Obrigada, 2014

31.12.14

Eu não comprei um carro novo. Não fui morar em um apartamento maior. Não construí uma casa, nem reformei a atual. Não troquei de emprego. Não fui promovida. E nem obtive reconhecimento profissional.

Não fui pedida em casamento. Não juntei. Nem me apaixonei.

Não engravidei, nem tive filho. Não plantei árvore. Não resisti (pela enésima vez) e tranquei a academia. Não perdi um quilinho sequer. Nem avencei no projeto "seque sua barriga". Pelo contrário.

Penei. Chorei. Sofri. Lamentei. Senti-me traída. Me decepcionei. Solucei desconsolada. Tive medo do silêncio, do escuro e da solidão. Me revoltei. Quis sumir do mapa. Perdi as esperanças.

...

E eis que, aos 45 do segundo tempo, veio a surpresa. Não, 2014 não me brindou com nenhum dos sonhos que estão na minha lista. Mas este ano promoveu, quando eu menos esperava, um bonito encontro.

Um encontro meu com uma velha conhecida. É.

Parece uma surpresa idiota. Mas foi um dos maiores presentes que a vida já me deu. Um sonho que não estava na minha lista (é que eu jamais imaginei que precisaria colocá-lo lá). E, mesmo assim, ele veio.

Seja bem-vinda de volta, minha amiga Mariana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário