Tomate seco

Comer fora é bom. Comprar comida pronta é uma mão na roda. Mas tudo isso pode virar um pesadelo. Por quê? Eu explico.

Você passa anos da sua vida comendo os pratos maravilhosos da sua mãe, apurando seu paladar, cada dia mais fino e de bom gosto, para aceitar que chamem qualquer gororoba de alimento (bom, quem nunca comeu coisa boa em casa está desculpado e não precisa "comprar" esta briga. Rs). Quando como fora, quero algo que eu não saiba cozinhar. Ou, então, algo delicioso. Que deixe uma marca. Que faça a diferença. E que não me deixe irritada na hora de pagar a conta. Só que isso está cada vez mais difícil.

Tudo é muito caro e poucas coisas realmente valem a pena.

Isso também se aplica, infelizmente, às coisas que compramos prontas. Já reclamei aqui do iogurte grego à venda nos supermercados. Mas se tem um produto que me tira do sério é o tomate seco.

O tomate seco que você acha nos supermercados (e nos restaurantes, adornando aquela salada "chique" de nome francês ou uma das pizzas mais pedidas no Brasil) é uma massaroca ressecada e abominável.

O tomate é tão duro que a serra da faca se intimida. O gosto de plástico é tão presente que a gente duvida se aquilo um dia foi de verdade um tomate ou uma boneca Barbie. E o azeite em que ele vem mergulhado? Parece óleo usado de carro, recauchutado para evitar o desperdício.

Santo Deus! Aquilo é um horror.

Só que eu tentei fazer tomate seco em casa um dia e fiquei indignada com as quatro horas de forno e o tiquinho de nada que sobrou do bicho depois de desidratado. Passei então a simplesmente não comer mais tomate seco.

Até que alguém teve a brilhante ideia de reformular a receita original. O pulo do gato só foi possível graças ao micro-ondas. E eu detesto micro-ondas. Ele detona qualquer pão e o transforma numa muxiba irreconhecível. Estraga comidas que pareciam impossíveis de serem estragadas.

Mas ele funciona com o tomate seco (e para derreter chocolate e esquentar leite, que fique claro). Desde então, o tomate seco voltou a frequentar a minha boca. E ele é tão, mas tão saboroso, que estou (confesso) um tantinho assim viciada.

Quer provar?

Tomate seco

Ingredientes
5 tomates maduros, tamanho médio (pode ser qualquer tipo de tomate)
1 colher (café) de vinagre para cada metade
1 colher (sobremesa) de açúcar refinado
1 colher (chá) de sal
Alho em lâminas a gosto
Orégano a gosto
Azeite para completar

Modo de preparo

Aqueça o forno a 180oC.

Lave bem os tomates e corte-os ao meio. Retire as sementes. Disponha-os em um refratário grande com a pele para baixo. Misture o sal e o açúcar e salpique nos tomates. Depois, coloque a colher de café de vinagre dentro de cada metade.


Leve ao micro-ondas por seis minutos em potência alta. Retire o excesso de água do prato e retorne-o ao micro-ondas por mais cinco minutos, também em potência alta. Retire do micro-ondas, dobre os pedaços para que fiquem fechados e leve ao forno por 30 minutos (ou até que esteja murchos e secos). Eu prefiro eles menos secos, com um pouquinho de "vida".


Espere esfriar e transfira-os para um pote de vidro com tampa. Regue o fundo do pote com azeite e vá colocando camadas de tomate, alho e orégano (eu adoro colocar folhas de manjericão!).

Cubra com azeite até ficarem submersos - isso ajuda a que fiquem bem conservados e durem mais. Mantenha na geladeira!

Comentários

Postagens mais visitadas