Por uma vida menos gourmet

Eu adoro cozinhar. Acho que todos vocês já perceberam isso, né? :) E adoro cozinhar de tudo: doces, salgados, pães, bolos... Quer dizer, desde que seja uma receita executável.

A coisa que mais me tira do sério na cozinha são aqueles pratos tão difíceis de executar que só o Senhor Miyagi da culinária, em dia de sorte, dá conta de fazer. Quer dizer, até então.

Acabei de descobrir que tem uma coisa no mundo gastronômico que me irrita mais do que um prato complicado. É a tal da comida gourmet.

Até pouco tempo, dava-se o nome de gourmet àquela comida que usa ingredientes de qualidade, executada de forma criteriosa, preparada à perfeição, artisticamente impecável. É a comida de alta qualidade, reservada a paladares mais avançados. Exatamente por isso ela costuma ser mais cara que os pratos tradicionais. Massa.

E isso era aplicado, tradicionalmente, àqueles pratos chiques, requintados, diferentes do dia a dia. Era phyno sair de casa um sábado à noite para provar um prato gourmet. Mas, de repente, isso se perdeu. De repente, TUDO virou gourmet. E é triste perceber como o mundo se tornou mais cinza por causa dessa gourmetização.

Pensa bem. Antes, enchíamos o bucho de feijoada às sextas e aos domingos, acompanhada de uma caipirinha da boa. Passávamos horas rolando de um lado para o outro, ruminando, tentando digerir a coitada. E vivíamos felizes para sempre com essa deliciosa tradição.

Hoje? Acabou. O lance é pagar dobrado para comer uma feijoada gourmet, que sabe lá Deus o que tem de diferente da velha e boa feijoada de sempre (a não ser o preço e a quantidade infinitamente menor de comida). Ah, claro. Ela é apresentada de forma mais bonitinha. E quem algum dia ligou para como a feijoada é apresentada?

(Olha o vinagrete no copinho, gente! Parece menina que virou mocinha!)

Esse movimento tem crescido tanto que tem até um tumblr em homenagem a ele: Gourmetização da Vida. Adoro como ele sacaneia o tema. No site, rola uma lista das coisas gourmets mais insuportáveis do mundo! É de chorar de rir!

O quindim amarelo sabor ovo virou quindim gourmet de pistache, cor verde assustadora. Posso recusar sem ser xingada de preconceituosa?

O cachorro quente, para o choque geral da nação, virou cupcake de hot dog. E como se trata de um cupcake, que nada mais deveria ser do que um bolinho porção única, tamanho de xícara, o frosting é a batata palha.

(Meooooo Deosssssss)

O brigadeiro não é mais de chocolate com aquele granulado viciante. É gourmet. É de tudo menos de chocolate. Queria saber se alguém se lembrou de avisar as crianças sobre essa mudança de personalidade do brigadeiro...

(Brigadeiros de pinhão, banana da terra e cachaça)

Até o tosquíssimo miojo, prato típico dos ogros, entrou na dança. Deixou de ser macarrão trash com molho maléfico e ultrassalgado de saquinho. Virou miojo gourmet com galinha caipira, milho verde e queijo canastra. Jesus!


E pipoca gourmet? As idas ao cinema nunca mais serão as mesmas. Você pode apanhar ao pedir para o atendente um sacão giga de pipoca salgada. "Como assim, moça? Só temos pipó sabores trufa branca e curry com mostarda. Hunf!".

Torço para que essa moda pare por aqui antes que as pessoas venham exigir a versão gourmet de nós mesmos.

Comentários

  1. Olha concordo com você em gênero, número e grau, acho uma puta frescura esse lance de tudo estar virando gourmet, daqui a pouco até o ovo frito vai ser gourmet.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é, Regina? Quando vi que até o miojo tinha versão gourmet revirei os olhos e arfei de preguiça!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas