Rubaiyat

Não foi amor à primeira vista. Quer dizer, os olhos se apaixonaram, mas o estômago, não. Enquanto todo mundo enchia a boca para elogiar a comida, eu gostei mesmo foi da figueira secular que abraça o salão do restaurante. Isso em São Paulo, onde conheci pela primeira vez o Rubaiyat. Fui duas vezes, incentivada pelas companhias. Mas, nos dois momentos, saí com a mesma impressão. A feijoada estava ok e o outro prato foi tão insignificante que nem me lembro se se tratava de carne, peixe ou massa.

Mas minha opinião mudou radicalmente ontem, após visitar a unidade do Baby Beef Rubaiyat em Brasília.

Não sei se foi pelo prato que pedi, acertadíssimo, se é porque a casa é nova e a preocupação com o atendimento de excelência ainda é prioridade (a abertura foi há menos de um mês) ou se foi a carne que ficou feliz por ser servida às margens do belo Lago Paranoá. Só sei que estava divina!

Do começo ao fim, a experiência foi impecável. O lugar é lindo, o atendimento é bom e o couvert , uma riqueza, como diria a minha amiga Ju! Azeitonas, salame, abobrinhas... Muito gostoso! Mas imbatível mesmo é o pão de queijo! Sério, dá para passar a noite à base dessas bolinhas amarelas, que passaram a ocupar o primeiro lugar do meu ranking "pão de queijístico"(em segundo lugar, vem o pão de queijo de um posto de gasolina meio lascado que fica em frente à TV Brasília! Surrealmente bom! Depois vem o seu, viu, mãe?!)!

A decisão do que comer no jantar foi moleza. O garçom sugeriu dois cortes: a picanha summus, com gordura por fora, e o baby beef, com gordura por dentro. Como minha cabeça é a de uma pessoa obesa, não pensei duas vezes: baby beef! De acompanhamento, purê de mandioquinha, um vício meu.

Suspirei o tempo todo enquanto devorava a carne. Gemi, sorri, cantei e quase chorei de emoção. É, sou assim de emotiva, principalmente quando o tema é comida bem feita. Estava tudo tão gostoso e foi tão bem servido que nem ataquei a sobremesa. E olha que tinha panqueca com dulce de leche, do original.

Graças ao baby beef, o Rubaiyat ganhou o pedaço do meu coração que havia perdido. E por causa do baby beef, carne boa agora subiu de nível.

Comentários

  1. Ahhhhhh, queria ter ido com você! Estou louca para conhecer o restaurante de Brasília, porque também já conheço o de SP! Que bom que gostou! Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não seja por isso! Só por sua causa, vou lá de novo! Rs!

      Excluir
  2. Amiga, minha impressão foi a mesma. Atendimento, local, pão de queijo... concordo, concordo, concordo! A carne dispensa comentários. Acho que as vaquinhas deles vivem num spa, porque ô carne macia! ;)
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kati, vamos pedir para passar férias com as vaquinhas deles? Hehehehe! Assim nós também vamos voltar bem apetitosas e macias! :)

      Excluir
  3. Eu adoro o Rubayat! Comi a picanha aqui em Brasília e achei ótima! Thiago não teve tanta sorte com o filet, mas o couvert é realmente delicioso! A única coisa que achei ruim foi o tamanho das porções de acompanhamento. Muito mal servidas! Economizar em farofa de ovos é dureza!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sheyloca, te entendo perfeitamente! Eu confesso que fiquei com medo de pedir a farofa de ovos, porque tem tanta farofa ruim no mercado que minha decepção é constante! Da próxima, provem o baby beef! Sério! Surrealmente delicioso!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas